Resenha Pedagógica do filme "Nenhum a menos"

      


 O seguinte trabalho tem como objetivo a discussão sobre o currículo escolar, sua formação e adaptação, suas necessidades e dificuldades. O prof. Márcio Fagundes Alves utilizou-se do filme chinês “Nenhum a menos” dirigido por Zhang Yimou para causar-nos  o refletir sobre as necessidades de contextualizar o currículo à realidade do aluno, da escola e de seu sistema de ensino; observar como a intervenção e estruturação ou falta delas pelo Sistema Educacional são importantes para a manutenção física e pedagógica da instituição escolar.
       Também tentaremos relacionar a situação escolar chinesa à conjuntura nacional das Instituições de Ensino, às semelhanças nas mais variadas esfera

1.    Resumo do filme

 Uma garota de 13 anos chega a uma vila no interior rural da China para substituir o antigo professor que precisa fazer uma viagem. Em honorários, a pequena receberia 50 yuang se lecionasse o conteúdo e impedisse que quaisquer alunos desistissem da escola. Daí surge o problema: um deles (Zhang) é obrigado a ir para cidade a fim de arrumar emprego e ajudar a sua família endividada. Após perceber que não há outra escolha, a professora substituta Wei decide, a qualquer custo, reaver o aluno. O filme se divide em três momentos: 1)a chegada da professora substituta à vila, 2) sua saída à cidade para procurar o aluno evadido e 3) seu retorno com o aluno e os repórteres.

1) Na primeira parte, a jovem professora tenta lidar com as dificuldades dos alunos da aldeia e a suas próprias, uma vez que os alunos são um tanto indisciplinados e ela não possui domínio total sobre o conteúdo a ser lecionado. Além de ser professora, ela iria morar com os alunos e lhes cozinhar e cuidar Em um determinado momento, duas coisas acontecem: um grupo de olheiros chega a cidade para selecionar possíveis atletas e decide levar uma das garotas, pois esta é boa corredora e um de seus piores alunos(Zhang) tem que ir para cidade em busca de emprego, o que desestabiliza a zona de conforto da professora. Sendo persuadida pelo prefeito que será bom para a menina ir com os olheiros (já que o foco do filme é o outro menino), ela então resolve se focar no outro garoto, e vai arranjar dinheiro para ir até a cidade. Embora os alunos sejam quase miseráveis, eles arranjam trabalho para ajudar na empreitada utilizando simultaneamente os conteúdos usandos dentro de sala de aula.

2) Quando a professora vai até a cidade, ela fica um tanto perdida no caos do grande município, com a incomunicabilidade das grandes multidões. A prof. Wei se vê como um simples átomo no meio de toda aquela gigantesca engrenagem. O destino da professora estava quase sendo o mesmo do menino, que se tornara um pedinte, pois suas tentativas são todas desengonçadas: a ajuda de uma garota que pouco se importava com o destino do menino, a tentativa inocente e mal construída de cartazes, e por fim a tentativa de conseguir ajuda através da televisão. Essa ultima se torna a solução redentora, a única que de fato pode ajudar a menina. Através de um anúncio na televisão ao lado de uma apresentadora que quer debater a vida escolar, a menina finalmente acha o garoto.

3)Ao voltar para a aldeia, com a ajuda da emissora de Televisão, há um grande número de donativos angariados pela equipe de filmagens. Prof. Wei e Zhang voltam agora como heróis e celebridades para a aldeiazinha e enche a escola de giz, agora coloridos. E ao termido do filme, há duas cenas   bem marcantes: primeiramente, o garoto Zhang diz que a pior coisa que ele passou foi ter que implorar por um prato de comida; e fecha-se o filme com os alunos escrevendo palavras no quadro-negro com valor significativos para todos eles. Logo há comentários, referindo-se ao filme como baseados em fatos reais.


2.    Descrevendo o contexto social, politico, econômico e cultural do filme.

O contexto do filme se passa no ambiente rural chinês, numa vila pobre e desértica chamada Shuiquan, onde o sistema educacional é administrado diretamente entre o prefeito e o educador, de uma forma autoritária. Como em todo sistema ditatorial, o nacionalismo é posto em ênfase – principalmente nas aulas de canto e dança. Podemos perceber a falta de materiais didáticos já que havia apenas as cadeiras e a lousa velhas, os cadernos, lápis e um pouco de giz que devia ser economizado ao máximo; a falta de capacitação da professora substituta nos afirma a irregularidade na contratação de profissionais de ensino e a falta de regulamentação do Estado.


3.    Descrevendo e analisando a frase dita pelo prefeito da vila “Hoje é mais difícil segurar o aluno na escola do que ensinar”.

A alusão à evasão escolar e as metodologias de ensino-aprendizagem são o núcleo semântico da sentença. Comparadas uma à outra, o prefeito tende a mencionar que a dificuldade de permanecerem os alunos em sala de aula é maior que a dificuldade de aprendizagem de conteúdos. Baseando no contexto do filme, o principal fator para a expansão da evasão é a vulnerabilidade socioeconômica daquele povoado. Para Luiz Antônio Miguel Ferreira,
Promotor de Justiça e escritor do Artigo “Evasão Escolar”, há também outros fatores que possam estimular a saída precoce dos alunos, como a Escola, o próprio aluno, pais e responsáveis, etc.
4.    Citando alguns elementos responsáveis pelo desinteresse e/ou indisciplina dos alunos em alguns momentos.

Os principais elementos que causavam a desordem naquele ambiente de ensino são a falta de capacitação da professora por ela mesma não ser habilitada para lecionar e a falta de contextualização do conteúdo a ser professado.
5.    Que tipo de aluno a escola chinesa do período pretendia forjar?

Baseando no sistema político ditatorial chinês, podemos afirmar que o currículo pretende criar educandos e, por conseguinte, cidadãos submissos ao sistema em que estão inseridos, patriotas ufanistas, trabalhadores,




6.    Explicando por que e como o saber escolar passou a ser significativo para as crianças.

O saber se lhes tornou significativo quando o mesmo se personificou em um objetivo: angariar dinheiro para a compra de passagens para que a professora Wei pudesse resgatar o menino Zhang que evadiu da escola para trabalhar e ajudar sua família. Ao invés de simplesmente copiar as lições que o professor passava, os alunos passaram a criar e pensar soluções para um problema prático que se observa, gerando um somatório de inferência à matéria lecionada com o trabalho disponível na região. Prática e conceito se materializam nessa dinâmica.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ao analisarmos esse filme, podemos fazer uma comparação às varias realidades brasileiras, à construção de seus currículos baseando nas diversidades culturais nacionais e, também, na importância.
Podemos enfatizar que a ideia de identidade nacional e a ideia de identidade pessoal sofrem grande influencia do interesse pedagógico de uma escola e seu sistema.



REFERÊNCIAS:

BRISOLLA, Lívia Santos – “Pedagogia Cultural e Cinema: análise crítica do filme ‘Nenhum a Menos’ sob a perspectiva dos Estudos Culturais”

BAUER, Carlos – “Nenhum a menos – Dos princípios educativos na filmografia chinesa!”  Revista Espaço Acadêmico – Mensal – Nº 101 – Outubro de 2009 – ISSN 1519-6186 DOSSIÊ: 60 ANOS DA REVOLUÇÃO CHINESA
Anúncios

5 comments

  1. Querida Fátima,
    Obrigado pelo comentário. Antes de qualquer coisa, quero dizer que também concordo que apenas um filme não possa descrever a realidade chinesa ou de qualquer outra cultura no mundo, porém te devo lembrar que essa não é a intenção do filme – reveja-o – tanto quanto não é do blog ( já que aqui não é blog de turismo ou de cultura). O filme tem a função de trabalhar os sentimentos de superação, determinação e lealdade em ambientes hostis e dentro de um recorte tempo-espacial da trama. Procure no site oficial da produtora do filme que você poderá entender melhor. Em relação à minha resenha, ela é apenas um trabalho pequeno e simples cuja função é dar um ponta-pé inicial para reflexões que eu mesmo apontei. Se você queria algo mais consistente, poderia ler as “Referências” e investigar em artigos totalmente direcionados e aprofundados no filme. A Beleza dessa película está em olhar uma cultura tão bela e milenar, e nos vermos, enquanto seres humanos, com problemas semelhantes que talvez possam ter a mesma solução.
    Obrigado e abraços

    Gostar

  2. Querido Cooper, boa noite. Esse tipo de filme só é vendido diretamente na própria Produtora ou em sites de Venda/Revenda. Aqui estão alguns links para que você possa encomendar:

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-511556611-dvd-nenhum-a-menos-yi-ge-dou-bu-neng-shao-novo-_JM

    http://www.studiochihiro.com.br/produtos-index/categorias/167914/nenhum_a_menos.html

    Lembre-se, meu amigo, que qualquer compra deve ser feito com muito cuidado, tá bom? Abraços e divirta-se.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s